[ editar artigo]

Em tempos de Coronavírus como fica o Growth Marketing?

Em tempos de Coronavírus como fica o Growth Marketing?

É verdade! Só se fala nele… o assunto está nas ruas, no WhatsApp, na timeline das redes sociais e claro, na pauta das notícias do mundo inteiro.

Ele mesmo, o tal do Coronavírus.

Simplesmente não dá para fingir que não está acontecendo nada e seguir com a rotina, visto que, não é uma crise restrita ao Sistema de Saúde. Desde o anúncio de pandemia pela OMS, muitas ações têm sido tomadas para a prevenção e o combate à pandemia, e muitas das quais modificam nossa rotina.

2020 já está tatuado na história! Um verdadeiro registro nos livros de ciências, economia e marketing.

E nesse contexto, existe uma grande mudança de foco, de onde está a atenção das pessoas, acarretando impactos no engajamento e, até mesmo, dependendo do produto ou serviço, no faturamento.

Mas vamos lá, não podemos ficar com medo e apenas chorar, apesar da situação ser trágica no mundo, tanto na saúde coletiva quanto nos negócios, nós profissionais de marketing e empreendedores devemos pensar em estratégias de como agir. 

E é sobre isso que quero falar, sobre um novo ponto de vista para você analisar. Sei que muitos ainda não estão enxergando oportunidades na dificuldade e por isso o Growth marketing pode ser um “help”.

Novos caminhos: A internet como a saída para os negócios!

O uso da internet aumentou substancialmente nos últimos dias, tanto que as maiores operadoras de internet do Brasil se uniram para propor soluções a alta demanda de tráfego de dados.

Agora, repare que boa parte do seu público-alvo certamente está sob regime de isolamento, em casa, disponível ainda mais nos meios digitais. 

Por isso que a internet se torna a maior sustentação dos negócios atualmente. 

Por exemplo, restaurantes e até mesmo padarias que não estavam nos aplicativos de entrega de alimentos, tiveram que ingressar. Até passaram a investir em mídias pagas para gerar tráfego e aparecer nas pesquisas de quem busca alimentos sem sair de casa.

No setor imobiliário, as construtoras e imobiliárias adotaram atendimento online personalizado. Até mesmo porque, investir em mídia offline como outdoors e panfletos não faz sentido nesse momento, são as Redes Sociais e buscas no Google que irão te aproximar do seu público.

Mesmo que não sejam feitos grandes negócios é possível ver a maturidade digital das pessoas e como a internet se tornou o caminho para os negócios se mexerem e lutarem contra a crise.

Mas deixo meu alerta, este é o momento de investir no posicionamento da marca e na geração de leads qualificados, não somente de realizar campanhas que visam apenas vendas e ofertas.

Tá! Mas e esse tal de Growth marketing?

Já deu para perceber que ganhamos novos desafios! Este é o momento para reunir inúmeras habilidades, para atender os mais diversos objetivos — e, talvez, salvar o dia.

É preciso combinar arte e ciência: cultivar a parte intuitiva do processo, que conta com a criatividade para chamar atenção gerando posicionamento dentro de um canal; e, ao mesmo tempo, adotar um método para gerar hipóteses, colocá-las à prova e analisar o retorno.

Estamos em um cenário de forte transformação digital, com a necessidade de capturar e aumentar o valor de um produto/serviço para o cliente, o mais rápido possível. Como falei anteriormente, este é o momento de construção de marca. 

E eis que aqui é de suma importância enxergar além dos limites, observar a necessidade de outros conhecimentos e habilidades somados a uma nova mentalidade. 

No Growth Marketing é preciso trabalhar com velocidade e testar novas iniciativas que sejam impactantes e lançadas rapidamente, para entender se vale a pena investir mais tempo e dinheiro. Nessa cultura de experimentação cada ação deve ser muito racional, visualizando resultados sem perder a consciência sobre suas possíveis consequências.

As oportunidades do Home office

 

Adotado por muitas empresas, o regime Home Office influenciou no crescimento rápido aos acessos nas redes sociais. Isto significa que o seu público-alvo também está mais conectado nas mídias digitais, quero frisar que quando falamos em redes sociais é preciso pensar em relacionamento, ou seja, se sua marca quer engajar neste momento com essa audiência saiba que precisa gerar conteúdo relevante e diálogos que conectem. 

É verdade, as pessoas estão mais preocupadas com a saúde do que em consumir produtos não essenciais, como de informática, roupas, entre outros. Mas analise seu negócio, escolha seus canais e use os dados a seu favor para encontrar as suas alavancas de crescimento. 

Friso, que neste momento pode não ser uma boa ideia campanhas de ofertas agressivas, podendo ser um gasto de tempo e dinheiro. Então explore uma linguagem menos “panfleteira”, execute o extraordinário método ACF (arroz com feijão). 

Foque esforços, primeiro no clichê: conhecer o seu negócio, o seu cliente e as dores neste momento de crise onde tudo mudou, inclusive a forma como sua empresa deve conversar e gerar conteúdo. E antes de sair dando machadadas, é preciso afiar o machado. 

A Hora do Sucesso do cliente 

 

 

O desafio aqui é manter os seus clientes ativos, trabalhando com empatia e colaboração de forma inteligente, mesmo que isso signifique um downsell passageiro ou o adiamento dos pagamentos. E deve ser uma prioridade do seu time evitar o Churn e oferecer opções para os clientes permanecerem.

Você precisa conhecer os seus clientes e criar ações diferenciadas de acordo com o segmento de mercado de cada um deles e entender como esse mercado está sendo afetado pela crise. 

Pense em ações one to many para colaborar com esses clientes e oferecer ajuda para superar essa crise. Seja com produtos adicionais, atendimentos consultivos, novos recursos, flexibilidade de entregas, entre outros.

Mais do que nunca a mentalidade e o trabalho de Sucesso do Cliente se torna fundamental para garantir o sucesso das empresas, demonstrando que Customer Success é uma estratégia de negócios e uma base para o crescimento.

Inovar é preciso

Tudo entrou em aceleração por causa do Coronavírus. E agora inovar virou questão de sobrevivência, já que boa parte dos setores hoje precisa encontrar novas saídas a qualquer custo. 

Existem diversas razões pelas quais as empresas buscam inovação, e neste momento além de aumentar ou deslanchar competitividade, também é uma maneira de evitar o declínio do negócio. 

Mas o que é Inovar? É criar um diferencial competitivo, perceptível e atrativo para seus clientes. Um exemplo real que gosto de dar quando alguém me diz que não sabe o que inovar é este:

Inclusive frequento um salão de beleza que inovou assim.

Inovação não está somente ligada a tecnologia como muitos pensam, inovar está ligado ao quanto você entende o seu mercado, conhece seus clientes e é criativo para pensar fora da caixa.

Dica Final: Se junte aos esforços mundiais para conter o COVID-19

Talvez de alguma maneira o seu negócio pode ajudar a sociedade nesse momento delicado.

Fábricas de cachaças estão doando álcool 70% para hospitais, já que na produção da cachaça a primeira quantia, possui teor alcoólico forte e impróprio para consumo. Ideia genial.

O sistema de chats e reuniões online Google Meet aumentou a capacidade de usuários simultâneos para facilitar a vida de quem trabalha em regime Home Office.

Locadoras de carros estão recebendo equipes extras de esterilização para limpeza ainda mais profunda e minuciosa de suas lojas e carros. E disponibilizando recipientes de álcool em gel em diversos pontos das lojas e escritórios para que as pessoas cuidem especialmente da higiene das mãos, evitando a transmissão.

A sua empresa pode ser mais exigente na higienização, implementar política de Home Office, enviar para os clientes informações de fontes seguras sobre a prevenção da doença, e muito mais. 

Eu acredito que toda dificuldade gera uma oportunidade. Mesmo em isolamento, respire e mantenha o foco.

Invista o tempo em aprender algo que você sempre quis dominar, esse recurso pode ser decisivo na sua vida pós-crise! 





 

Inovadores & Inquietos
Alessandra Pinheiro
Alessandra Pinheiro Seguir

Growth hacker apaixonada por desenvolvimento e otimização de Negócios com uma séria fraqueza em Inbound Marketing, SEO, Analytics, copywriting, Branding e um temperinho de UX. Me siga no instagram: @alegrowthmkt

Ler conteúdo completo
Indicados para você