[ editar artigo]

Reinvenção: o conceito de empreendedor foi atualizado

Reinvenção: o conceito de empreendedor foi atualizado

Qual o maior desafio que se coloca à economia portuguesa em meio à crise que enfrentamos? Ao ser assim questionado em entrevista ao jornal O Diabo, o economista Joaquim Cunha, presidente da PME-Portugal e criador do Projeto Reinventar Portugal, respondeu em uma simples palavra: reinventar-se[1]!

Algo que, diga-se de passagem, Portugal tem feito brilhantemente nos últimos anos. Enquanto no Brasil ainda se ouvia as antigas “piadas de português”, os luso empreendedores deram início, em 2016, ao Startup Portugal. Programa que, segundo seu diretor, João Mendes Borga, visa acolher empreendedores de todo o mundo e de todas as nacionalidades. Dentre os incentivos: o Startup Voucher (voltado à redução do risco de empreendedores em fase de ideia) e o Vale de Incubação (apoio para investir em serviços de incubação).

Quem já foi ao Websummit Portugal pôde sentir de perto, a realização de tal propósito. O empreendedorismo fervilhante do evento tem um quê de acolhimento, de pertencimento e da valorização de qualquer ideia. Eles amam o brasileiro e a troca é de grandeza sem igual.

A experiência fica completa se incluir ainda visitas à Câmara Portuguesa, incubadoras, startups, projetos sociais e empresas portuguesas já consolidadas, a exemplo da rede hoteleira Martinhal. É este o propósito de missões de empresários, como a organizada pela Atlantic Hub, que, em poucos anos, conseguiu consolidar um ecossistema riquíssimo, fomentando as negociações entre o Brasil e Portugal e, principalmente, formando grandes amizades.

Desta forma e diante de tantos projetos, em pouco tempo, Portugal deixou de ser apenas o berço das padarias do seu Manuel e dos doces de claras de ovos para se destacar,  internacionalmente, como um dos principais líderes nas áreas de inovação e tecnologia.

Histórico, reafirmamos, resumido até então numa única palavra: reinvenção. Reinvenção das empresas, dos empreendedores, da sociedade e, consequentemente, do Estado.

Mas foi aí que, em meio a esse turbilhão efervescente, apareceu o Corona vírus, consolidando, de uma vez por todas, a era da informação, mas também valorizando como nunca a sustentabilidade, a informação clara e transparente, o talento e, mais uma vez, a capacidade de reinventar-se rapidamente. Perceba: todos os setores que prosperaram em meio a crise têm uma ou várias das habilidades listadas.

Isto porque a missão de reinventar a economia é e sempre foi de cada um de nós. Para António Rios Amorim (Corticeira Amorim)[2], o foco agora é lutar pelos negócios e valorizar o talento:

A necessidade imediata trouxe mais ação, mais ensinamento e trará mais compromisso de rejuvenescimento. (…) A crise da aviação trará menos pessoas a voar, por conseguinte teremos menos clientes – mas melhores. Mais informados, exigentes, sustentáveis.”

Já para Adrian Bridge, Taylor’s (The Yeatman)[3],

os viajantes de um mundo pós-covid vão considerar-se pioneiros e aventureiros. (…) Podemos esperar que as coisas voltem ao que eram, mas (…) esperança não é estratégia. Em vez de lamentar o que se perdeu, temos de assumir o desafio, usar as nossas melhores competências, esforços e recursos para reconstruir.

Conhecimento, ecossistema e aplicabilidade. No intuito de potencializar esses quatro fatores, criamos o Clube Impulse, em 2018. Geramos networking, novos negócios e aquecemos a economia em nosso estado, chegando a movimentar mais de 1 bilhão de reais, dentro do ecossistema, em apenas 1 ano.

Agora, entendendo a necessidade de lutar e manter todos os negócios com uma determinação inabalável e capacidade concorrencial, levamos nossa metodologia  para o mundo digital. O que fica ainda melhor, pois estaremos num ecossistema que desconsidera barreiras físicas.

Nosso propósito é entregar conteúdo de ponta (através dos mais renomados experts), ajudar na aplicação de tudo que foi aprendido (através de um qualificado time de Personal Advisors) e manter um relacionamento constante entre os membros, trocando experiências e se ajudando sempre, como ainda acontece com os participantes da Missão Portugal e Websummit Portugal de 2019, dos quais participamos.

Acreditamos que o talento bem orientado é fonte interminável de valor: gera lucro, potencializa ideias e de perpétuas amizades, que duram para a vida inteira.

O Impulse On é um programa que se alinha justamente ao maior desafio que enfrentamos mundialmente, como dito no início desse texto: reinventar-se. Mas, melhor ainda, essa reinvenção acontecerá em grupo. Um grupo de pessoas obcecadas por reinvenção.

Inovadores & Inquietos
Ler conteúdo completo
Indicados para você